segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Ex-prefeito de Novo Gama consegue recurso para recapeamento asfáltico


Mesmo sem mandato, o ex-prefeito de Novo Gama Everaldo Vidal conseguiu recursos para o recapeamento asfáltico da cidade.

Os recursos virão através de emendas parlamentares. Serão R$ 500 mil destinados pelo senador Wilder Morais (PP) e R$ 200 mil do deputado estadual Lincoln Tejota (PROS).

A informação foi dada durante a comemoração do aniversário do ex-prefeito realizada na tarde deste domingo (18), em sua chácara, no Vale das Andorinhas, quando ele fez uma projeção sobre a festa e agradeceu a presença dos convidados.




Ainda no evento, Everaldo Vidal (PROS) colocou seu nome a disposição do partido para disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa nas eleições deste ano.


Fonte - Blog do Hudson Cunha

Operação Drácon. Liliane Roriz depõe à Justiça nesta segunda (19/2)


DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES

CAIO BARBIERI

A deputada distrital Liliane Roriz (PTB) deve depor às 14h desta segunda-feira (19/2) para a Justiça, no caso que ficou conhecido como Operação Drácon. Ela será ouvida pelo juiz Osvaldo Tovani, da 8ª Vara Criminal do Distrito Federal, como testemunha de acusação contra Valério Neves, Alexandre Cerqueira e Ricardo Cardoso dos Santos.

O magistrado é o responsável pelo processo, devido ao fato de os envolvidos não terem foro privilegiado. Os três são acusados pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) de operarem um suposto esquema que desviou recursos de emendas parlamentares para beneficiar prestadoras de serviço da Secretaria de Saúde. Em troca, as empresas pagariam propina aos participantes, argumenta a acusação. No entanto, eles negam.

A Operação Drácon teve início em agosto de 2016, depois que vieram à tona os áudios feitos pela deputada Liliane Roriz (PTB), revelando detalhes de como colegas da Câmara Legislativa do Distrito Federal agiam. Liliane teria começado a grampear os distritais no fim do 2015, quando os políticos decidiam sobre o que fazer com uma sobra orçamentária da Casa.

Em um primeiro momento, os recursos seriam destinados ao GDF para custear reformas nas escolas públicas. De última hora, no entanto, o texto do projeto de lei foi modificado, e o dinheiro – R$ 30 milhões, de um total de R$ 31 milhões –, realocado para a Saúde. O valor foi destinado ao pagamento de serviços vencidos em UTIs da rede pública.

Negociação
Na ocasião, Liliane teria questionado a então presidente da Câmara sobre a mudança na votação. No áudio, é possível ouvir Celina Leão (PPS) falando que o “projeto” seria para um “cara”, quem ajudaria os deputados. A presidente da Casa disse ainda que Liliane não ficaria de fora: “Você [Liliane] está no projeto, entendeu? Você está no projeto. Já mandei o Valério [ex-secretário-geral] falar com você.”

As denúncias feitas por Liliane atingiram outros distritais, como o Bispo Renato Andrade (PR) e Julio Cesar (PRB). Segundo as gravações, os dois teriam tentado fazer uma negociação com Afonso Assad, presidente da Associação Brasiliense de Construtores. De acordo com Valério Neves, em um dos áudios, o empresário poderia intermediar contratos com a Secretaria de Educação. Mas Assad não teria levado a cabo o “compromisso”. “O Afonso disse que não poderia garantir nada”, afirmou Neves em um dos trechos.

Com a negativa do empresário de participar do tal “compromisso”, segundo explicou Valério Neves nos áudios, o deputado Cristiano Araújo (PSD) teria conseguido o “negócio” das UTIs. Ao dizer o quanto os “hospitais iam retornar”, Valério sussurrou: “em torno de 7%”. E disse ainda que todos os integrantes da Mesa Diretora tinham conhecimento do acordo. Celina, por sua vez, destacou: se fosse para eles receberem algum tipo de ajuda, teria de ser para todos.


Fonte - Metropoles

Polícia Civil faz operação contra furto de água e energia no DF

São cumpridos mandados de prisão temporária, além de busca e apreensão. Seis pessoas já foram detidas

VINÍCIUS SANTA ROSA/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES
A Polícia Civil prendeu na manhã desta segunda-feira (19/2), seis pessoas suspeitas de furtarem água e energia em uma invasão no Setor de Clubes Esportivos Sul (SCES), Trecho 2. A ação foi coordenada pela 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul).

Foram cumpridos mandados de prisão temporária, além de busca e apreensão. De acordo com o delegado-adjunto da 1ª DP, João de Ataliba Nogueira Neto, os investigadores foram ao local para cumprir dois mandados de prisão contra homens que furtaram uma bicicleta em 29 de dezembro.

“Quando chegamos, vimos uma série de irregularidades. Ligações clandestinas feitas de forma precária e muito desperdício de água. Havia muitas crianças por lá. Tivemos que acionar a perícia e conseguimos localizar, além dos autores do furto da bicicleta, os responsáveis por essas irregularidades”, explicou Ataliba.


Invasão localizada próximo ao CCBBVinícius Santa Rosa/Especial para o Metrópoles


Fonte - Metropoles

Auditoria constata fracasso do Pró-DF II e pede suspensão do programa

TCDF aponta desvios de funcionalidade de imóveis, baixa geração de empregos e prejuízo aos cofres públicos na segunda etapa da iniciativa

HUGO BARRETO/METRÓPOLES

Criado para aquecer a economia do Distrito Federal, a segunda etapa do Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do DF (Pró-DF II) fracassou e tem custado caro aos cofres públicos. É o que aponta relatório de auditoria do Tribunal de Contas do DF (TCDF). Segundo a Corte, entre uma série de problemas identificados, houve insignificante geração de empregos, renda, receita tributária e desenvolvimento econômico e social.

As conclusões do TCDF mostram que apenas 12% das empresas estão funcionando nos moldes previstos pela Lei n° 3.196/2003, que criou o Pró-DF II. A maioria dos imóveis construídos ou utilizados para o programa teve desvio de funcionalidade: 71% deles hoje estão destinados à locação, o que não poderia ocorrer.

A série de fracassos não para por aí. Hoje, o número de postos de trabalho nas empresas cadastradas na iniciativa é inferior ao registrado no período em que elas aderiram ao programa e fica aquém de concorrentes que não estão inseridas no Pró-DF II.

Diante dessa realidade, o TCDF determinou a suspensão do programa até a sua completa reformulação e a concessão de novos benefícios. Quem já foi contemplado não será afetado, uma vez que tem o direito adquirido.

O Pró-DF, que hoje está na sua terceira etapa, foi lançado em 2003 com incentivos fiscais para empresas que se comprometessem a gerar empregos. Em alguns casos, houve até a concessão de terrenos. No entanto, foi um programa repleto de confusões, irregularidades, contratos falsos e mudança da destinação inicial do terreno sem autorização do governo.

Retorno pífio ao erário
O descaso com o Pró-DF II mostra que, para cada R$ 1 investido, houve apenas R$ 0,51 de incremento na arrecadação tributária. Com terrenos, financiamentos e cartas de crédito, foram empenhados R$ 5,2 bilhões entre 2004 e 2014 – dinheiro que não retornou em benfeitorias para a população.

O saldo negativo aponta ainda que o custo para o GDF de cada emprego mantido por quatro anos no Pró-DF II ultrapassou R$ 160 mil, o suficiente para manter um trabalhador com salário mínimo (R$ 954) por mais de 11 anos.

A consequência da omissão do GDF é que os programas surgiram e têm sido executados como um fim em si mesmos, sem preocupação com os resultados efetivamente alcançados e os custos suportados pelo erário distrital."
Trecho do relatório final de auditoria do TCDF

Fracasso industrial
Essas e outras falhas foram avaliadas e detalhadas minuciosamente pelo Tribunal de Contas. A Corte indicou e alertou, a diferentes gestões do governo local, os problemas na condução do Pró-DF II.

Além de os problemas não terem sido sanados, eles se perpetuaram no programa Ideas Industrial. Criado em 2013, por meio da Lei nº 5.017, a iniciativa previa, segundo definição do texto legal, “financiamento que tem por objetivo promover o desenvolvimento econômico de atividades produtivas do Distrito Federal por meio da ampliação da capacidade da economia local na produção e na distribuição de bens e serviços e na efetiva geração de emprego e renda”.

Como as metas, segundo o TCDF, não foram cumpridas, o Ideas Industrial foi incluído no mesmo relatório de auditoria do Pró-DF II por ter problemas similares.

Para o professor de administração e políticas públicas do Ibmec-DF José Simões, essas ações de fomento promovidas pelo GDF guardam similaridades que comprometem a execução desde a largada.

"O programa nasce errado, com um erro fundamental: sem objetivos. A partir desse início natimorto, todo o restante é desastre, pois não há como estabelecer metas e ser avaliado. Nasceu condenado ao fracasso e mostra o total descaso com o dinheiro público."
José Simões, especialista em gestão pública

Descontos milionários
A lista de mazelas no relatório de 134 páginas contém uma tabela com dezenas de empresas que gozaram de benefícios do programa, ganharam descontos consideráveis e encerraram as atividades em poucos meses. Há casos nos quais uma empresa que durou apenas nove meses recebeu descontos que somaram R$ 210.870,94. Outra, com apenas quatro meses de vida, teve abatimento de R$ 73.922,56 em impostos e outros benefícios.

Quando se percorre as ruas do Distrito Federal para ver como as empresas inscritas no Pró-DF têm aproveitado os benefícios concedidos pelo governo para se desenvolverem e gerarem empregos, o que se vê são placas enferrujadas, portões fechados e abandono. Há imóveis disponíveis para aluguel e outros com desvio de função: fábricas e galpões que viraram apartamentos.

Em Ceilândia, por exemplo, em um espaço onde deveria existir área comercial, há apartamentos de dois quartos para serem alugados por R$ 750 mensais. Nessa mesma área na Região Administrativa, o mato alto e a degradação tomam conta do local que era para estar plenamente desenvolvido, segundo as metas do governo. Ali, porém, poucas empresas funcionam.

Quem mantém o próprio negócio ativo também reclama. Dona de um restaurante em Ceilândia, Matilde Maria Pereira Silva chegou a ter seis funcionários, conforme previsto como contrapartida no Pró-DF. Agora, devido às dificuldades, o negócio é tocado apenas por familiares. “O movimento é muito baixo aqui, então muitas empresas não conseguem se manter. Eles [governo] exigem muitas coisas”, reclama.

Cobranças do TCDF
A resposta que o TCDF espera do governo local é clara: a Corte pede que o GDF estabeleça diretrizes e objetivos estratégicos de curto, médio e longo prazo; mensure resultados, fixe metas e levante a situação atual dos beneficiados.

Em suma, o tribunal quer respostas para o porquê de haver tanta ajuda do governo e pouco retorno e fiscalização. Essas demandas vêm sendo feitas ao longo dos anos, mas ignoradas completa ou parcialmente, como aponta o relatório do TCDF.

Procurado pela reportagem para comentar o relatório da Corte de Contas, o GDF não havia se manifestado até a última atualização desta reportagem.

O programa
Alguns casos emblemáticos marcaram a história do Pró-DF. Em 2011, a Câmara Legislativa instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades em contratos. Em 2015, no primeiro ano do atual governo, foram analisados 3,5 mil processos administrativos.

Naquele ano, a comissão identificou que cerca de 1,6 mil cartas-consulta estavam paradas e 1,4 mil processos tramitavam na Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) sem acompanhamento do órgão responsável.

No entanto, a CPI foi encerrada no ano seguinte sem apontar indiciados. O relatório final se limitou a apresentar sugestões ao GDF, para que o governo “corrigisse imperfeições no programa”.


Fonte - Metropoles

Populares acusam homem de estuprar criança de três anos em Sobradinho


Crédito: Shutterstock
Suspeito foi perseguido pela BR-020 por familiares da menina, que queriam linchá-lo

Um homem de 56 anos foi levado para a 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho) suspeito de estuprar uma criança de apenas três anos. Era por volta das 20h de domingo (18) quando a Polícia Militar foi acionada. Segundo a corporação, a denúncia era de que um homem estava sendo perseguido pela BR-020, em Sobradinho, acusado de abusar de uma menina.

O suspeito era perseguido por populares que queriam linchá-lo. Policiais foram de imediato ao local, impediram a agressão e detiveram o homem. A criança e o suspeito foram levados para o hospital, e lá, uma médica atestou que não houve a conjunção carnal.

Diante das acusações de populares e dos familiares da menina, e com o clima bastante tenso, a ocorrência foi encaminhada para a 13ª DP. Lá, as partes foram ouvidas e a ocorrência foi registrada em apuração.


Fonte - Jornal de Brasília

Vítima de tentativa de homicídio corre na rua com o corpo em chamas

Breno Esaki/Jornal de Brasília

Homem bebia com três colegas quando houve uma discussão. Segundo a PCDF, ele foi atacado a pauladas e teve o corpo incendiado

Um homem de 31 anos foi atacado a pauladas e teve o corpo incendiado durante uma discussão com outros três homens, em um barraco de madeira, no SDMC 16, em Ceilândia. O crime ocorreu por volta das 15h de sábado (17), enquanto o grupo fazia ingestão de bebida alcoólica.

Segundo a Polícia Civil, em determinado momento da bebedeira, a vítima se desentendeu com os companheiros e foi atacada a pauladas. Na sequência, os agressores atiraram gasolina no corpo do homem e atearam fogo. Com o corpo em chamas, a vítima correu em direção à QNR 5, até cair no meio da rua, desacordado.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, prestou atendimento preliminar e encaminhou o homem ao Hospital Regional da Asa Norte (HRan). Segundo a ocorrência registrada na 24ª Delegacia de Polícia, a vítima permanece internada, em estado grave de saúde.

Segundo a PCDF, contra o homem, há um mandado de prisão, expedido no município de Pedreiras, no Maranhão. Por isso, ele permanece escoltado durante a internação. Dois suspeitos de atacá-lo foram presos em flagrante, nesse domingo (18). O terceiro envolvido no caso conseguiu fugir ao entrar no mato.


Fonte - Jornal de Brasilia


Tarifa de ônibus do DF para o Entorno é reajustada no domingo; passagem chega a R$ 7,80

Aumento de 5,36% está previsto em resolução da ANTT. Passagem de Luziânia para Brasília, por exemplo, passa de R$ 6,05 para R$ 6,45; viagem para Marajó tem valor mais alto.

Por Letícia Carvalho, G1 DF
Ônibus para Planaltina de Goiás na Rodovirária do Plano Piloto (Foto: Tony Winston/Agência Brasília)
Os valores das tarifas do transporte público que liga o Distrito Federal às cidades do Entorno vão subir de 5,4% a 7,1%, dependendo do tipo de concessão. O aumento previsto em resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vale para as linhas semiurbanas e entrará em vigor a partir de domingo (18).

Com o reajuste, o valor da passagem de Mansões Marajó (Cristalina) para Brasília, por exemplo, passará de R$ 7,30 para R$ 7,80. Já de Santo Antônio do Descoberto para a capital federal, o preço vai subir de R$ 5,95 para R$ 6,30. A viagem entre Luziânia e Brasília custará R$ 6,45.

Reajuste da passagem de ônibus entre o DF e cidades do Entorno

Linha TARIFA 2017 TARIFA 2018 Aumento em R$
Aguas Lindas de Goias/GO - Brasilia/DF R$ 6,35 R$ 6,70 R$ 0,35
Aguas Lindas de Goias/GO - Ceilândia/DF R$ 3,25 R$ 3,50 R$ 0,25
Aguas Lindas de Goias/GO - Taguatinga/DF R$ 4,25 R$ 4,55 R$ 0,30
Brasilia/DF - Planaltina/GO R$ 6,45 R$ 6,80 R$ 0,35
Céu Azul/GO - Brasilia/DF R$ 4,10 R$ 4,30 R$ 0,20
Cidade Ecletica/GO - Brasilia/DF R$ 6,35 R$ 6,75 R$ 0,40
Cidade Ocidental/GO - Brasilia/DF R$ 4,95 R$ 5,20 R$ 0,25
Cidade Ocidental/GO - Gama/DF R$ 3,40 R$ 3,55 R$ 0,15
Cidade Ocidental/GO - Taguatinga/DF R$ 5,70 R$ 6,00 R$ 0,30
Cocalzinho de Goiás (Girassol)/GO - Brasilia/DF R$ 7,15 R$ 7,65 R$ 0,50
Cocalzinho de Goiás (Girassol)/GO - Taguatinga/DF R$ 5,25 R$ 5,60 R$ 0,35
Formosa/GO - Planaltina/DF R$ 4,55 R$ 4,80 R$ 0,25
Lago Azul (N. Gama)/GO - Brasilia/DF R$ 6,85 R$ 7,25 R$ 0,40
Luziânia/GO - Brasília/DF R$ 6,05 R$ 6,45 R$ 0,40
Luziânia/GO - Gama/DF R$ 4,50 R$ 4,80 R$ 0,30
Luziânia/GO - Taguatinga/DF R$ 6,85 R$ 7,20 R$ 0,35
Mansões Marajó (Cristalina)/GO - Brasilia/DF R$ 7,30 R$ 7,80 R$ 0,50
Monte Alto/GO - Brasilia/DF R$ 5,80 R$ 6,05 R$ 0,25
Monte Alto/GO - Brazlandia/DF R$ 1,65 R$ 1,75 R$ 0,10
Monte Alto/GO - Taguatinga/DF R$ 5,35 R$ 5,60 R$ 0,25
Novo Gama/GO - Brasília/DF R$ 5,75 R$ 6,05 R$ 0,30
Novo Gama/GO - Gama/DF R$ 1,40 R$ 1,55 R$ 0,15
Novo Gama/GO - Taguatinga/DF R$ 5,05 R$ 5,40 R$ 0,35
Parque Industrial Mignone (Jardim Ingá)/GO - Brasilia/DF R$ 5,15 R$ 5,40 R$ 0,25
Parque Industrial Mignone (Jardim Ingá)/GO- Gama/DF R$ 3,35 R$ 3,60 R$ 0,25
Parque Industrial Mignone (Jardim Ingá)/GO- Taguatinga/DF R$ 5,95 R$ 6,25 R$ 0,30
Santo Antonio do Descoberto/GO - Brasilia/DF R$ 5,95 R$ 6,30 R$ 0,35
Santo Antonio do Descoberto/GO - Taguatinga/DF R$ 4,75 R$ 5,00 R$ 0,25
Valparaiso de Goiás/GO - Brasilia/DF R$ 4,45 R$ 4,65 R$ 0,20
Valparaiso de Goiás/GO - Gama/DF R$ 2,85 R$ 3,05 R$ 0,20
Valparaiso de Goiás/GO - Taguatinga/DF R$ 5,20 R$ 5,50 R$ 0,30

Fonte: ANTT

De acordo com a ANTT, este reajuste é anual e leva em consideração vários fatores, como o preço do combustível e o gasto com funcionários.


Fonte - G1/Distrito Federal

Motorista de empresa de ônibus que deixou 9 mortos em acidente na BR-020 fala de jornada excessiva

Acidente em Formosa, no Entorno do DF, envolveu ônibus e duas carretas; motorista teria dormido. Vídeo com depoimento de ex-colega está nas redes sociais; empresa diz que respeita leis trabalhistas.

Motorista da empresa Expresso Guanabara reclama da carga horário de trabalho
O vídeo de um motorista da empresa Expresso Guanabara – a mesma empresa do ônibus que bateu em duas carretas e provocou a morte de nove pessoas em um acidente na BR-020, em Formosa, no Entorno do Distrito Federal – está circulando nas redes sociais e levanta polêmica sobre as causas do acidente. Nas imagens, Décio Ferreira, colega do motorista morto, reclama do atraso dos ônibus e de longas jornada de trabalho.

"A previsão desse carro aqui é para 21 horas e 30 minutos. E eu tenho que estar aqui uma hora antes. Eu estou desde 20 horas aqui esperando esse carro. Chegou agora quase uma hora da manhã. Eu vou pegar esse carro agora, vou dirigir oito horas pra Barreiras [Bahia]. Já vai fazer 14 horas que eu vou estar acordado", afirma ele na gravação.

A Expresso Guanabara garante que o atraso citado pelo motorista no vídeo foi pontual. Em nota, ela afirma que respeita as leis trabalhistas e que o motorista que gravou o vídeo continua trabalhando na empresa.

A lei que regula a jornada de trabalho dos motoristas permite oito horas seguidas ao volante, com possibilidade de prorrogação de mais duas horas. O tempo de descanso entre uma viagem e outra é de no mínimo 11 horas.

Acidente na BR-020 causa a morte de nove pessoas, em Formosa, Goiás (Foto: Arte/ G1)
O acidente desta quinta-feira (15) deixou nove mortos e 33 pessoas feridos. Edson Lopes Lima, que também morreu, assumiu o volante às 22h55 de quarta-feira (14), segundo a rodoviária da cidade de Barreiras, na Bahia. A estimativa é que o motorista estivesse dirigindo havia oito horas no momento do acidente.

A lei que regula a jornada de trabalho dos motoristas permite oito horas seguidas ao volante, com possibilidade de prorrogação de mais duas horas. O tempo de descanso entre uma viagem e outra é de no mínimo 11 horas.

Ônibus e carreta se envolvem em acidente grave na BR-020, em Formosa, Goiás (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista do ônibus – que partiu de Cajazeiras (PB) com destino a Goiânia – teria causado o acidente ao invadir a contramão. testemunhas disseram que ele fazia "zigue-zague" na pista, o que indicaria que ele pudesse ter dormido ao volante.

Outro acidente

Em fevereiro de 2016, outro ônibus da empresa Expresso Guanabara tombou no município de Campo Sales, a 493 km de Fortaleza. Na época, o Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Juazeiro do Norte informou que duas pessoas haviam morrido no acidente.

Em nota, o Ministério Público do Trabalho do Ceará informou à TV Globo nesta sexta-feira (16) que está investigando se este acidente está relacionado com a jornada de trabalho. Já a Guanabara disse que os promotores já concluíram que não houve excesso de jornada de trabalho.

Multas

Em 2017, a Guanabara acumulou quase R$ 3 milhões em multas. A maior parte, R$1.411.282,44, aplicadas pela Polícia Rodoviária Federal, por embarque em local não autorizado. O restante, R$ 1.406.224,08, foram autuações da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT). As infrações foram por prática não autorizada de valor de passagem. Apesar desses números, o chefe de fiscalização da ANTT, João Paulo Souza, afirmou que não há comprometimento da segurança operacional da empresa.

“A fiscalização não identifica problemas de segurança. Há de convir que essa empresa que opera a maior parte do nordeste do país, ela tem centenas de embarques dia, ou seja, relativamente está abaixo da média das empresas a quantidade e atrasos que a ouvidoria recebeu de reclamações”, disse Souza.

A empresa informou em nota que tanto os atrasos quanto as multas são pequenas perto da quantidade das mais de 125 mil que a Guanabara realiza por ano.


Fonte - Edson Ferraz, Mariana Salgueiro e Wellington Hanna, TV Globo

Polícia identifica suspeito de atirar em menina de 3 anos no DF

Homem está foragido. Criança andava de bicicleta em Santa Maria quando foi atingida na cabeça pelo disparo; Esther não corre mais risco de vida, diz família.

Bicicleta em que menina pedalava quando foi baleada, no DF (Foto: Flávia Marsola/TV Globo)

A Polícia Civil do Distrito Federal conseguiu identificar, nesta sexta-feira (16), o suspeito de ter baleado uma menina de 3 anos na cabeça. Esther Laís Reis andava de bicicleta com outras crianças em Santa Maria, no sábado de carnaval, quando foi atingida pelo disparo. Responsável pela investigação, o delegado Rodrigo Telho disse que há um mandado de prisão contra o homem e que, até a publicação desta reportagem, ele continuava foragido.

O nome do suspeito não foi revelado pela polícia para não atrapalhar as investigações. Em nota, a corporação informou que “várias pessoas envolvidas na ocorrência já foram ouvidas em Termo de Declarações”.

Polícia já sabe quem disparou tiro que acertou menina em Santa Maria
Além disso, uma pessoa foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer o exame residuográfico – que detecta a presença de pólvora –, mas o resultado só será divulgado em 30 dias.

Testemunhas que estavam no local do crime contaram à polícia que o disparo teria saído de um carro branco que passou ao lado da criança. Segundo a Polícia Civil, um veículo também foi apreendido para perícia.

O caso foi na rua da QR 206, onde mora a tia da menina. Esther foi encaminhada ao hospital da região e depois levada ao Hospital de Base em estado grave. A criança precisou ser operada. Mesmo estando em coma induzido, ela não corre mais risco de vida.

Rua onde criança foi baleada enquanto andava de bike (Foto: Flávia Marsola/TV Globo)


Fonte - G1 DF e TV Globo

Rumores sobre morte de Roriz agitaram cena política no fim de semana

Boato a respeito do ex-governador circulou no meio político, mas foi desmentido pela família

DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES


SUZANO ALMEIDA

Passava das 23h desse sábado (17/2), quando começou a circular no meio político a notícia de que o estado de saúde do ex-governador Joaquim Roriz havia piorado e ele não resistira. Imediatamente, familiares e pessoas próximas ao ex-governador começaram a receber uma enxurrada de ligações em busca de informações sobre Roriz.

Quem desfez o mal-entendido foi a filha do meio do político, Jaqueline Roriz. Depois de quase uma hora que o boato começou a circular no bastidor, ela tranquilizou amigos e correligionários do ex-governador: o pai passava bem e repousava em casa.

Até então, a comoção já havia tomado conta de grupos no WhatsApp. O Metrópoles questionou parentes e representantes da família a respeito da “notícia”. Um sobrinho do ex-governador falou, em um primeiro momento, que não tinha informações sobre o assunto. Cerca de 15 minutos depois, mais tranquilo, já sabia que o tio estava dormindo e bem.

Dedé, inclusive, mandou um áudio em grupo de aliados políticos para desfazer o mal-entendido. “Minha prima Jaqueline Roriz acabou de me ligar. É fake news feio. Quem surgiu com esse boato é uma pessoa do mal mesmo. A Jaqueline acabou de sair da casa do meu tio, e ele está em casa dormindo”, disse o sobrinho de Roriz.

Amputação
Em agosto de 2017, o Metrópoles revelou que Roriz precisou amputar dois dedos do pé direito por causa do agravamento de sua diabetes. O político voltou ao hospital 11 dias depois e, dessa vez, teve a perna direita amputada na altura do joelho.

O ex-governador luta, com o apoio da família, para controlar o avanço da doença. Ele também é paciente renal crônico.

Em novembro de 2015, o ex-governador ficou quase uma semana internado após um quadro de hipertensão e taquicardia e precisou fazer um cateterismo, o qual não identificou nenhum problema de saúde além dos já conhecidos.

O patriarca da família Roriz governou o DF por 14 anos. Em 2006, foi eleito senador. Iniciou o mandato em 2007 e renunciou após cinco meses para escapar de um eventual processo de cassação devido ao escândalo da Bezerra de Ouro.

Esquizofrenia
Recentemente, Roriz foi avaliado por junta médica que atestou piora em suas funções mentais. Como o diagnóstico ocorreu em um momento pré-eleitoral e todas as herdeiras diretas estão praticamente inelegíveis, o grupo político do ex-governador começou a ruir.

Os representantes de Roriz em articulações passaram a perder credibilidade e força proporcionalmente ao avanço da doença do ex-governador. Quando algum aliado ou pessoa próxima percebia os sintomas, familiares logo afirmavam que se tratava de um efeito colateral do excesso de medicamentos.

Sem condições de eleger alguma de suas filhas como herdeiras naturais, começam a surgir outros nomes, como o de um sobrinho, que tenta abocanhar fatia do espólio eleitoral do ex-governador. Filho de Jaqueline, Joaquim Roriz Neto é estimulado pela mãe para concorrer a um cargo eletivo. Nas últimas eleições, no entanto, o rapaz, que a substituiu na busca por uma cadeira na Câmara dos Deputados, conseguiu apenas a suplência pelo PMN.


Fonte - Metrópoles